A TRANSIÇÃO DO REGIONALISMO LATINO-AMERICANO PARA O SUL-AMERICANO NO DISCURSO DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA

Armstrong Pereira da Silva, Hannah Guedes de Souza, Rodrigo de Paula Abi-Ramia

Resumo


Na América Latina, a ideia de união via regionalismo sempre esteve presente a partir de iniciativas,discursos, objetivos e métodos para a coesão da região – seja em termos políticos, econômicos, culturais ousociais. Todavia, apesar do unionismo acompanhar o continente desde a sua independência, os projetos e teoriasaqui implantados variaram quanto ao seu caráter e finalidade – passando a assumir diversas formas, váriossignificados e recortes no decorrer da história. Do século XIX ao XX, houve discursos políticos de criação deuma Federação de Estados Hispano-americanos e União dos Estados Unidos do Sul, assim como propostaseconômicas de União Aduaneira, de uma Associação Latino-Americana de Livre Comércio (ALALC) e de umaAssociação Latino-Americana de Integração (ALADI) que pautavam-se em um projeto integracionista centradona América Latina. Contudo, na transição do século XX para o XXI assistiu-se o abandono paulatino dessaretórica de união do continente latino-americano e a ascensão de um novo recorte político-discursivo de união apartir da América do Sul. Nesse sentido, uma evidência concreta desse processo pode ser vista nos própriosnomes das instituições regionais proativas nos anos 2000: Comunidade “Sul-Americana” das Nações (CASA);União das Nações “Sul-Americanas” (UNASUL); Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional “SulAmericana” (IIRSA), além do Mercosul. Diante disso, este trabalho buscará problematizar a construção dodiscurso de “América do Sul”, ao realizar uma revisão bibliográfica da literatura de política externa brasileirapara a região e regionalismo, além de consultar documentos oficiais do governo e sua chancelaria.Argumentamos que este movimento consistiu em uma estratégia da Política Externa Brasileira para delimitar suaárea de atuação preferencial enquanto player regional, excluindo a influência do México na região (após a suaadesão ao Acordo de Livre Comércio da América do Norte - NAFTA) e abandonando o foco de umregionalismo latino-americano que englobaria a zona de influência direta dos EUA na América Central e noCaribe.

Palavras-chave


América do Sul; Regionalismo Sul-Americano; América Latina, Integração, Brasil

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Espirales