APONTES SOBRE A ESTÉTICA POLÍTICA FEMINISTA

Luana Almeida, Franciele Mussio Mendoza

Resumo


Busca-se através da discussão sobre uma Estética Política feminista latino-americana presente nas obras de artistas mulheres desvelar a importância que a arte traz para a abertura da discussão sobre o espaço da mulher na sociedade. 

Como bem destaca Cecilia Fajardo-Hill (2018), “é irônico como as qualidades que têm sido celebradas na arte do século XXI como o posicionamento contra a ordem, o experimentalismo, a originalidade e o não conformismo” não sejam aplicadas às artistas mulheres (FAJARDO-HILL, 2018, p.21), mesmo tendo sido (e sendo) elas, as responsáveis por uma verdadeira “virada iconográfica radical” na arte latino-americana (GIUNTA, 2018). Essas artistas colocaram (e ainda colocam) em questionamento não somente as opressões de gênero, como também demonstraram (demonstram) como estas foram (e são) reproduzidas pelo sistema de arte em seus parâmetros de representações artísticas (GIUNTA, 2018, p.29).



Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L, F. de. O feminino na arte e a arte do feminino: Movimentos libertários do século. In: Mulheres recipientes: recortes poéticos do universo feminino nas Artes Visuais. São Paulo: Editora UNESP, Cultura Acadêmica, 2010, pp. 55-73.

BUTLER, J. Corpos que importam. In. Sapere Aude – Belo Horizonte, v.6 - n.11, p.12-16 – 1º sem. 2015.

FAJARDO-HILL, C. A invisibilidade das artistas latino-americanas: problematizando práticas da história da arte e da curadoria.In:FAJARDO-HILL, C.; GIUNTA, A. Mulheres radicais: arte latino-americana, 1960-1985. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018, pp.21-27.

GIUNTA, A. A virada iconográfica: a desnormalização dos corpos e sensibilidades na obra de artistas latino-americanas. In: FAJARDO-HILL, C.; GIUNTA, A. Mulheres radicais: arte latino-americana, 1960-1985. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018, pp.29-34.

latino-americana, 1960-1985. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018, pp.29-34.

KULCZYNSKI, N. U. O corpo como campo de batalha: o corpo na arte feminista do séc.XX e suas reverberações em meu trabalho artístico. In: Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, 26°, 2017, Campinas. Anais do 26° Encontro da Anpap. Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas, 2017. p.3946-3960.

PEÑA, J. A.; MAYER, M. ROSA, M. L. Arte feminista e “artivismo” na América Latina: um diálogo entre três vozes. In: FAJARDO-HILL, C.; GIUNTA, A. Mulheres radicais: arte latino-americana, 1960-1985. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018, pp.37-41.

PRECIADO, B. P. Manifesto contrassexual: Práticas subversivas de identidade sexual. Tradução de Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo: n-1 edições, 2014.

TVARDOVSKAS, L. S. Teoria e crítica feminista nas artes visuais. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH São Paulo, julho 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 de nov. de 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Espirales