Os institutos histórico geográficos no Brasil do século XIX: a instrumentalização dos saberes geográficos e a colonialidade do poder na construção da identidade nacional

Pedro Lucas Gil Silva

Resumo


O presente artigo analisa o contexto de estabelecimento do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro, bem como de seus pares regionais, como o Instituto Histórico Antropológico de Pernambuco e o Instituto Histórico Geográfico de São Paulo, ao longo do século XIX, evidenciando seus projetos de estabelecimento da identidade nacional e os discursos que os ampararam, sob o arcabouço teórico do pensamento decolonial, que enfatiza a dualidade modernidade/colonialidade na expansão do projeto civilizatório difundido desde a Europa. Este processo demandou a modernização e integração do território brasileiro através de um discurso científico de cunho
geográfico, que visava articular os aspectos físicos e sociais frente a centralização política que demandava a incipiente nação, que recentemente havia alcançado a independência e buscava se inserir na geopolítica global que se desenhava então.


Palavras-chave


IHBG; IHAP; IHGB/SP; Colonialidade do Poder; Saberes Geográficos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Espirales