O MITO DA “ILHA BRASIL” A ESTRUTURA DO MITO E A IDEIA DE BRASIL LATINO

Nícollas Cayann

Resumo


Com base em bibliografias de História das Relações Internacionais e fazendo uso de leituras referentes à ideia literária de mito, busca-se revisitar autores como Ian Watt (1997) e Edmund Leach (1969). O artigo surge de uma leitura crítica do trabalho de Sampaio Goes, na obra “Navegantes, Bandeirantes, Diplomatas”, de 1991, apresentando a ideia de “Ilha Brasil” como uma espécie de concretização do imaginário de viajantes. O trabalho busca, nesse viés, promover uma interação com a temática de Literatura de Viagem. Produzido com base no uso de revisão bibliográfica e pesquisa documental, utilizando fontes secundárias abordadas de forma qualitativa, o artigo pretende elucidar o mito de “Ilha Brasil” como um dos possíveis fatores de distanciamento da ideia de “Brasil Latino”, tendo como objetivo secundário estimular a pesquisa em torno da latinidade brasileira


Palavras-chave


Ilha Brasil; Brasil Latino; América Latina; Literatura Comparada; História das RI

Texto completo:

PDF

Referências


ARDAO, Arturo. La idea de Latinoamérica. Montevidéu: Marcha, 1965.

BETHELL, Leslie. O Brasil e a ideia de “América Latina” em perspectiva

histórica. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 22, n. 44, , p. 289-321, jul-dez2009. Disponível em: Acesso em 05 jun. 2017.

BOMFIM, Manoel. A América Latina – Males de Origem. Rio de Janeiro,

RJ: Topbooks Editora, 2005 [1905].

BULTMANN, Rudolf. Kerygma and Myth by Rudolf Bultmann and five

critics. New York,1948.

CAMPBELL, Mary. Travel Writing and its theory. In: HULME, Peter; YOUNGS,

Tim. The Cambridge Companion to Travel Writing. 1ª ed. Cambridge:

Cambridge University Press, 2002, 338 p.

CINTRA, Jorge Pimentel. Reconstruindo o mapa das capitanias

hereditárias. Anais do museu paulista, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 11-45, jul-dez. 2013. Disponível em: Acesso em: 16 jul. 2017.

DINIZ, Dilma Castelo Branco. O Conceito de América Latina: uma visão

francesa. Caligrama Revista de Estudos Românticos, Belo Horizonte, n. 12,

p. 129-148, dezembro 2007. Disponível em:

Acesso em: 16 jul. 2017.

ÉMERY, Bernard. A Utopia Brasileira. Portuguese Cultural Studies, Grenoble, v. 1, n. 1, 2007. Disponível em:

Acesso em: 16 jul. 2017.

GOES, Sampaio. Navegantes, Bandeirantes, Diplomatas. Brasília: Fundação

Alexandre de Gusmão, 1991. Disponível em:Acesso em: 16 jul. 2017.

LEACH, Edmund. A Legitimidade de Salomão, Nascimento Virgem e Genesis enquanto um mito. In: DAMATTA (Ed.). Edmund Leach. São Paulo: Atica, 1983.

MIGNOLO, Walter. La idea de América Latina: la herida colonial y la opción

decolonial. 1ªed. Barcelona: Gedisa, 2007. 241 p.

MIGNOLO, Walter. Novas Reflexões sobre a “ideia de Amperica Latina”: a

direita, a esquerda e a opção descolonial. Caderno CR, Salvador, v. 21, n. 53, p. 239-252 , maio-ago. 2008,. Disponível em:

Acesso em: 16 jul 2017.

MORE, Thomas. Utopia. Brasília: FUNAG, 2004 [1516]. Disponível em:

Acesso em: 16 jul 2017.

NERUDA, Pablo. Los Versos del Capitán, Seix Barral, 2012 [1952].

RIBEIRO, David. Cartografia das Relações, as condições da produção

intelectual e os percursos da escrita história de Jaime Cortesão no Brasil.

Dissertação (História Social). São Paulo, Universidade de São Paulo, 2015,

p. Disponível em: Acesso em: 16 jul. 2017.

RUBIÉS, Joan Pau. Travel Writing and ethnography. In: HULME, Peter; YOUNGS, Tim. The Cambridge Companion to Travel Writing. 1ª ed.

Cambridge: Cambridge University Press, 2002, 338 p.

SHERMAN, William. Strirrings and seachings (1500-1720). In: HULME, Peter; YOUNGS, Tim. The Cambridge Companion to Travel Writing. 1ª ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2002, 338 p.

THEVET, André. Les singularités de la France Antarctique, autrement

nomée Amerique. Paris, 1557. Disponível em:

Acesso em: 16 jul 2017.

WATT, Ian. Mitos do individualismo moderno: Fausto, Dom Quixote, Dom

Juan, Robson Crusoé. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

WHITEHEAD, Neil L. South America/Amazonia: the forest of marvels. In: HULME, Peter; YOUNGS, Tim. The Cambridge Companion to Travel

Writing. 1ª ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2002, 338 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Espirales